quinta-feira, 17 de março de 2011

Anjos de Quatro Patas...

Cachorros e gatos...mais que animais de estimação, amigos e anjos que estão ao nosso lado...
Ao invés de citar coisas já escritas ou pegar de modelo textos da internet, prefiro partilhar com vocês as fotos e algo sobre minhas duas cachorras que eu tive, que infelizmente partiram desse plano espiritual para outro.
Minha Minga:


Uma mistura de linguiçinha com vira lata...
Ela chegou no ano de 1994, meu pai a trouxe  de uma obra em gravatai na qual ele era encarregado...ela sempre encheu a casa de alegria, teve filhotes, incomodou ( e muito xD ) brincou, foi varias vezes a praia conosco, morou em florianópolis e até fugiu uma vez...ou seja, teve uma vida bem agitada =D
Foi ficando velhinha e com o tempo desenvolveu um tumor na barriga que foi crescendo até ficar do tamanho de uma bola de tênis...infelizmente nunca teve nada que poderiamos fazer em questoes médicas, pois se fosse operada iria morrer, pois estava muito fraca, nos ultimos meses de vida suas patas traseiras perderam a funcão, pois o tumor corroeu seus ossos, durante quatro dias ela não dormia mais de dor, uivava as noites inteiras, e eu só conseguia dormir depois das 4~5h da manhã, pois ficava com ela até ela conseguir dormir...
Tinha 16 anos, até que no quinto dia de sofrimento decidimos optar pela "eutanasia" não conseguia mais ver ela sofrer...ainda ouço seus choros no patio, fazem uns 2~3 meses que ela se foi, mas para mim estará sempre no meu coração, adeus Minga, Eu te amo.

Minha Luma :


Uma boxer baia...
Vinda no ano de 1997, trazida por uma amiga de minha mãe, ela era muito boba, muito dócil e amava estar conosco, ensinei ela a sentar e obedecer.
Gostava de brincar e tomar banho, viveu as mesmas histórias da minga, junto com ela, se tratavam como mãe e filha, claro que tinha alguma brigas entre elas, pois como qualquer um que se ama tem brigas...
Foi a que eu mais sofri com a perda, pois simplismente não esperava sua morte...
Tinha arrecem acordado quando minha mãe me deu a noticia, fui até o patio não acreditando...ele estava deitada na sua casinha, como gostava de dormir, mas tinha um pórem...ela jamais acordou, fiquei em choque, não consegui chorar, depois voltei para meu quarto e chorei, chorei por dias, nos deixou com 14 anose assim como a minga jamais sairá de meu coração, pois elas cumpriram seu papel, nos amar incondicionalmente.
Eu te amo Luma, pra sempre.

Obrigado a vocês duas, fizeram minha vida mais feliz.

2 comentários:

  1. O Fagner conseguir expressar nessa homenagem não apenas o sentimento dele e sim de todo a familia!
    Adeus minhas amadas!!

    ResponderExcluir